“Dentro de mim cabe o mundo” é o show que a cantora e compositora carioca Monique Kessous batizou para apresentar seu último CD – o terceiro, que leva o mesmo nome – e está rodando o Brasil. Fui assistí-la em Ipanema e me encantei! Carioca, bela e com um lindo sorriso faz um show divertido – às vezes engraçado, principalmente quando conversa com o público. No show pude apreciar sua vivacidade, as composições… Ler mais

                                       Somos alguns, poucos-muitos                                        salão amplo – luzes e espelhos                                        corpos em movimento – olhares descomprometidos   … Ler mais

Mayra Andrade! Você já conhecia essa menina? Nascida em Cuba, seu padrasto era um diplomata do Cabo Verde e desde cedo se empolgou pela música. Cresceu no Senegal, Angola, Alemanha e no Cabo Verde onde estreou em 2002. Não parou mais… Apaixonada pela música brasileira (adora Caetano Veloso!) dá um show de bola cantando nossas músicas sem sotaque, cheia de força e com um charme especial que a vida lhe deu! Atualmente… Ler mais

Em tempos de Carnaval e em especial do Carnaval de Salvador, que participo há décadas (quem não conhece não faz ideia da festa que é!), escolhi uma música do cantor e compositor Saulo Fernandes, lançada em 2013 chamada Raiz de Todo Bem, para representar meu sentimento de estar todos os anos no Carnaval dessa cidade africana e ao mesmo tempo prestar uma homenagem à terra onde nasci, a Bahia. A primeira vez que escutei… Ler mais

Como sempre faço desde a criação do NuncaseSabe, quando chega dezembro é hora de uma reflexão sobre os posts publicados, bem como sempre surge uma certa curiosidade sobre aqueles que virão… Uma espécie de balanço para “tomar pé” do que aconteceu e sobretudo do que ainda está para acontecer… Posts são uma espécie de “filhos metafóricos” que se põem no mundo. É curioso e interessante acompanhar suas trajetórias no tempo e no espaço. Coisa de pai… Ler mais

Daniella Firpo cantava na Bahia desde meados dos anos 90 e era figurinha carimbada nas noites  de Salvador onde “mandava ver” seu repertório de músicas pop, arrastando sempre uma galera que curtia aquele ritmo. Filha de família de cantores, desde o avô Oscar Costa, que também era médico, passando pelo pai Renato Firpo, engenheiro de quem adotou o sobrenome artístico, a mãe Ana Maria, professora de violão e ainda a irmã Andrea Ferrer… Ler mais