Daniella Firpo cantava na Bahia desde meados dos anos 90 e era figurinha carimbada nas noites  de Salvador onde “mandava ver” seu repertório de músicas pop, arrastando sempre uma galera que curtia aquele ritmo. Filha de família de cantores, desde o avô Oscar Costa, que também era médico, passando pelo pai Renato Firpo, engenheiro de quem adotou o sobrenome artístico, a mãe Ana Maria, professora de violão e ainda a irmã Andrea Ferrer… Ler mais

Vera Gertel é uma de minhas colegas há muitos anos, na turma de alongamento com o Jean-Marie, na Sauer Danças, no Jardim Botânico no Rio de Janeiro. Discreta, tranquila mas sempre presente, é uma das “queridinhas” do nosso mestre. Sempre escutei do Jean: “Olha essa menina aí na sua frente, veja como ela está fazendo… olha que beleza de movimento, que perfeição!…” Por isso mesmo sempre prestei a atenção nessa “menina”. Detalhe: Vera… Ler mais

A cantora Andrea Ferrer retorna ao NuncaseSabe com uma composição de sua autoria em parceria com Luca Maciel intitulada Pertinho, num clipe gravado num parque de diversões em Salvador. No policrômico vídeo criado por Pico Garcez, Andrea desliza sua voz suave num painel de noturnas cores e efeitos luminosos, cantando amores, revelando sua alma poética num caminhar sem fim! Andrea fará shows com Misael da Hora ao piano no Rio de Janeiro, dias 17 de setembro… Ler mais

CONTINUAÇÃO DO POST ANTERIOR A pesada aeronave teve sua velocidade reduzida após perder um dos motores. O outro rateava enlouquecidamente pois fora atingido. A fuselagem estava irreconhecível, toda esburacada pelos tiros recebidos. Com isso, o B-17 foi ficando para trás da formação protetora dos demais bombardeiros, que tendo sobrevivido aos ataques, iniciavam a difícil viagem de regresso às suas bases na Inglaterra. Os caças amigos tiveram que regressar mais cedo devido à… Ler mais

Se você não gosta de histórias de guerras, aconselho a parar por aqui e esperar pelo próximo post do NuncaseSabe, pois o que vem a seguir é um relato da minha perplexidade e admiração por um surpreendente e improvável “encontro”, se me permitem a licença poética, para contar o ocorrido num combate aéreo nos céus da Alemanha devastada, em meio a Segunda Grande Guerra. Esse fato ficou vergonhosamente ocultado da História tanto… Ler mais

Por Beto Benjamin. Dedicado às minhas filhas Joana, Gabriela e Carolina. Dedicado a Josué de Castro.             Vinham todos os dias, quase,             eu era bem criança, lembro, pois passavam devagar, na minha frente, segurando sempre um caixão, pequeno, revestido todo de azul bem claro.             assim da cor do céu que o verão veste, era a… Ler mais